[Série] Penny Dreadful

 

A série exibida pelo canal Showtime, e no Brasil, pela HBO foi criado por John Logan (Gladiador, O Aviador, Sweeney Todd) com uma mistura de drama, terror e fantasia. A série faz um certo mix com alguns personagens literários famosos mais ou menos como Once Upon a Time faz com os contos de fadas. Ela se passa em Londres na época vitoriana e conta com personagens como Frankenstein, Jack o Estripador e Dorian Gray, além de personagens “próprios”, como Vanessa Ives e Sir Malcom.

O título remete aos “Penny Dreadfuls”, pequenas histórias de ficção e terror que eram vendidas na Inglaterra nessa época que custavam um centavo (penny).

A série conta com Timothy Dalton (o 4º James Bond) como Sir Malcom Murray; Eva Green (a Bond Girl de 2006, “Sin City” – 2014) como Vanessa Ives; Josh Hartnett (“Pearl Harbor”, “Xeque-Mate”, “Sin City” – 2005) como Ethan Chandler; Harry Treadaway (“Cidade das Sombras”) como Dr. Victor Frankenstein; Reeve Carney (“A Tempestade”) como Dorian Gray; Billie Piper (“Doctor Who“) como Bona Croft.

A história da 1ª temporada gira em torno da busca do Sir Malcom pela sua filha Mina, que foi levada por um ser, no mínimo, sobrenatural. Ele conta com a ajuda de Vanessa Ives, uma mulher misteriosa com um certo grande talento para forças sobrenaturais. No processo do seu plano para resgatar Mina, Sir Malcom recruta Ethan Chandler, um americano com grande habilidade pistoleira (e outras), e Victor Frankenstein, um jovem médico com sede de conhecimento e atormentado pelo seu passado.

Penny Dreadful tem o “padrão HBO” de qualidade. Ótima direção, cenários, figurinos, roteiro, atuações… Só de assistir a abertura da série dá para perceber algumas das intenções dos produtores, além de sensacional, ela é provocativa e dá até um pouco de medo.

Renovada para uma 2ª temporada, que vai ao ar em 2015.

 

Penny-Dreadful


It is not an awesome blog


Anúncios

Surdocego “assistindo” a jogo da Copa 2014 (Brasil x Croácia)

Aproveitando esse clima de Copa do Mundo, época em que o país todo é brasileiro com muito orgulho e com muito amor, é sempre bom saber que todos podem desfrutar dos jogos.

Hélio Fonseca é um intérprete de libras, e ajudou o seu amigo Carlos, que é surdocego, na interpretação dos jogos do Brasil na Copa 2014.

Para fazer isso, ele construiu um campo de futebol tátil e usou, além da libras-tátil, a comunicação háptica para poder passar informações como faltas, cartões, nº dos jogadores, etc.

Aí em cima a gente confere o vídeo mostrando como foram feitas as adaptações para que Carlos tivesse uma ótima experiência “assistindo” ao primeiro jogo dessa Copa. (Legendas na fala do Carlos no final do vídeo).


It is not an awesome blog


[Livro] Ponto de Impacto – Dan Brown

pdi

 

Ponto de Impacto é um daqueles livros que você não consegue parar de ler. A cada página, Dan Brown enche a gente de mistérios e surpresas. (E quando as respostas aparecem, dá aquela vontade de jogar o livro lá longe)

Sinopse:

“Quando um novo satélite da NASA encontra um estranho objeto escondido nas profundezas do Ártico, a agência espacial aproveita o impacto da sua descoberta para contornar uma grave crise financeira e de credibilidade. O peso dessa revelação acarreta sérias implicações para a política espacial norte-americana e, sobretudo, para a iminente eleição presidencial.
Com o objetivo de verificar a autenticidade da descoberta, a Casa Branca envia a analista de inteligência Rachel Sexton para a desolada geleira Milne. Acompanhada por uma equipe de especialistas, incluindo o carismático pesquisador Michael Tolland, Rachel se depara com indícios de uma fraude científica que ameaça abalar o planeta.
Antes que Rachel possa falar com o presidente dos Estados Unidos sobre suas suspeitas, ela e Michel são perseguidos por assassinos profissionais controlados por uma pessoa que é capaz de tudo para encobrir a verdade. Em uma fuga desesperada para salvar suas vidas, a única chance de sobrevivência para Rachel e Michael é desvendar a identidade de quem se esconde por trás de uma conspiração sem precedentes.
Com fascinantes informações sobre a NASA, a comunidade de inteligência e os bastidores da política americana, sem falar na polêmica discussão sobre a possibilidade de vida extraterrestre, Ponto de Impacto revela o amadurecimento de Dan Brown como escritor, reunindo todas as qualidades que o transformariam em um fenômeno mundial com seu livro seguinte: O Código da Vinci.”


It is not an awesome blog


#Oscar2014

Então, eu sei que já faz tipo uma semana que foi o Oscar e tudo mais, só que nunca é tarde. Talvez até o ano que vem já seja tarde… Enfim…

oscars-2014-ellen-poster__140108193621-575x851

Os Academy Awards de 2014 foram apresentados pela comediante/atriz/etc Ellen DeGeneres, que já havia apresentado a premiação em 2007 (e como ela disse, muita coisa mudou nesses 7 anos, as mesmas pessoas indicadas). A 86ª cerimônia da entrega do Oscar teve a maior audiência de um programa de entretenimento dos últimos 10 anos, desde o fim de Friends.

A apresentadora começou a noite com algumas piadinhas básicas estilo Ellen DeGeneres mesmo. Brincando com Leonardo DiCaprio, Meryl Streep, Jonah Hill, etc… E não se esquecendo de mencionar a queda da Jennifer Lawrence no ano passado e informar para todo mundo que ela caiu de novo esse ano. ((Não vamos esquecer de comentar que Jared Leto já ta querendo tretar com a mais nova queridinha da América e disse que ela só quer cauzar. The zuera never ends))

Esse ano, eles “homenagearam” os super-heróis, tanto aqueles com super-poderes quanto aqueles que lutam por algo que acreditam (chato pra caramba). Homenagearam também os 75 anos de O Mágico de Oz, com direito a uma apresentação emocionante da P!nk.

A noite de gala de Hollywood contou com mais cinco apresentações musicais: a de Pharrell Williams com a música “Happy” de Meu Malvado Favorito 2; a banda U2 apresentou a música “Ordinary Love” do filme Mandela: Long Walk to Freedom;  Idina Menzel cantou “Let it go”, trilha de Frozen; e Karen O juntamente com Ezra Koenig apresentaram “The Moon Song” do filme Ela, todos concorrendo à categoria de Melhor Canção Original. E, por fim, após o tradicional “In Memoriam” do ano (em que até o cineasta brasileiro Eduardo Coutinho foi lembrado), Bette Midler fez uma também emocionante apresentação de “Wind Beneath my Wings”.

Os highlights da noite:

  • Geral nos photobombs.

    E definitivamente, Benedict Cumberbatch e Jared Leto são os melhores nisso. (créditos das edições)

pb

pb pbpb pb pb

  • Le pizza.

    Bom saber que as coisas lá também acabam em pizza. Ellen fez o que eu faria nessa situação, pediu pizza pro povo comer. E a pizza foi um sucesso: Meryl Streep comendo, Brad Pitt de garçom… O povo tava realmente passando fome.

angelina-jolie-e-brad-pitt-pizza-ap pizza-merylstreep jenniferlawrence-pizza

santaceia

  • A melhor selfie de todos os tempos.

    Eles conseguiram quebrar o Twitter com o maior número de RT’s em uma foto. Também né, uma selfie com Ellen DeGeneres, Meryl Streep, Angelina Jolie, Jennifer Lawrence, Lupita Nyong’o, Julia Roberts, Brad Pitt, Bradley Cooper, Channing Tatum, Kevin Spacey e Jared Leto. Até o irmão da Lupita conseguiu entrar na foto. (E a Samsung aproveitando pra fazer o marketing dela.)

BhxWutnCEAAtEQ6

Então, o Oscar de 2014 foi legal, a Ellen foi demais apresentando. Gravidade ganhou tudo o que podia ganhar, e, na minha opinião, houveram poucas injustiças nesse ano 😀 Leonardo DiCaprio não ganhou de novo (tadinho).

Maas eu queria mais apresentações com danças e tudo mais, tipo o ano passado. A Ellen podia ter cantando alguma coisa pra fazer gracinha com o povo lá. Enfim, esse foi o Oscar mais visto e que teve um tema mais diversificado, tanto com os nominados quanto com os vencedores.

Agora, os ganhadores da noite:

MELHOR FILME: “12 Anos de Escravidão” (Bem merecido, apesar do pessoal da Academia ter falado que votou nele só porque o tema é importante…)

MELHOR ATOR: Matthew McConaughey, por “Clube de Compras Dallas” (Mals ae, Leo…)

MELHOR ATRIZ: Cate Blanchett, por “Blue Jasmine” (Go Australia!)

MELHOR ATOR COADJUVANTE: Jared Leto, por “Clube de Compras Dallas”

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Lupita Nyong’o, por “12 Anos de Escravidão” (Aeeeeeeeeeeeeeeew!!)

MELHOR DIRETOR: Alfonso Cuarón, por “Gravidade” (Primeiro vencedor mexicano!)

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL: “Ela”, escrito por Spike Jonze (Muito bom!)

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO: “12 Anos de Escravidão”

MELHOR ANIMAÇÃO: “Frozen: Uma Aventura Congelante” (Primeiro Oscar da Disney!!!!)

MELHOR FILME ESTRANGEIRO: “A Grande Beleza” (Itália)

MELHOR DOCUMENTÁRIO: “A Um Passo do Estrelato”

DOCUMENTÁRIO DE CURTA-METRAGEM: “The Lady in Number 6: Music Saved My Life”

TRILHA SONORA: Steven Price, por “Gravidade”

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL: “Let it Go”, de “Frozen” – Música e letra de Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez

FIGURINO: “O Grande Gatsby”

CABELO E MAQUIAGEM: “Clube de Compras Dallas”

MELHOR CURTA: “Helium”

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO: “Mr Hublot” (Lindo)

MELHOR EDIÇÃO: “Gravidade” (Bastante merecido)

EFEITOS VISUAIS: “Gravidade”

FOTOGRAFIA: “Gravidade” (Espaço)

DESIGN DE PRODUÇÃO: “O Grande Gatsby”

EDIÇÃO DE SOM: “Gravidade”

MIXAGEM DE SOM: “Gravidade”


It is not an awesome blog


[Série] A Young Doctor’s Notebook

Entããão, A Young Doctor’s Notebook, ou, em português, Diário de um Jovem Médico, é uma minissérie de 2 temporadas, com 4 episódios cada, adaptada dos contos escritos pelo autor russo Mikhail Bulgakov. A coleção de seus contos ficou conhecida como A Country Doctor’s Notebook, e conta com histórias inspiradas na experiência do próprio Bulgakov como um jovem médico recém-formado praticando num hospital de uma pequena aldeia na época da Revolução Russa, em 1917.

A série começa em Moscou, com um Vladimir Bomgard adulto, interpretado por Jon Hamm (Mad Men), que encontra seu diário relatando suas “desventuras” como médico recém-formado. Daniel Radcliffe (Harry Potter) interpreta o jovem Vladimir, que precisa se adaptar à rotina, aos processos hospitalares, aos fracassos e à equipe da qual fará parte.

Sinopse de UniverseSeries: 1934, um médico passa por uma séria investigação que pode acabar com sua carreira, enquanto tem seus pertences inspecionados e sua vida virada de cabeça para baixo, ele encontra um diário e então relembra sua época de recém-formado quando saiu de Moscou para assumir a liderança em uma clínica médica em um vilarejo no meio do nada. Em 1917, seus recursos eram limitados, e a constante nevasca o deixou isolado com seus staffs e pacientes, para lutar sozinho contra uma depressão que se iniciava.

Foi bem legal o jeito que eles colocaram as histórias e, ainda mais, o modo que eles fizeram com que o Vladimir jovem interagisse com o adulto.

8 episódios de, aproximadamente, 25 minutos cada.

Assista os episódios online da 1ª temporada aqui:

Episódio 1
Episódio 2
Episódio 3
Episódio 4

AYDN


It is not an awesome blog


[Série] Skins – Fire/Pure/Rise

skins

Com 3 episódios divididos em duas partes cada, essa é a 7ª e última temporada de Skins, porque eles cansaram dessa vida…

Essa temporada traz de volta Effy (1ª geração/2ª geração), Cassie (1ª geração) e Cook (2ª geração) em episódios denominados Fire, Pure e Rise, respectivamente.

Os episódios mostram esses três na vida adulta, o que deve ser um desastre, porque são uns dos mais problemáticos das duas gerações hm.

Skins Fire:

“”Effy (Kaya Scodelario) tem um trabalho inútil como recepcionista num Fundo de Cobertura de destaque em Londres. Mas quando ela tromba com informações financeiras cruciais com relação a negociações turbulentas e embarca num affair com seu chefe rico, ela descobre que mordeu mais do que pode mastigar. Sua colega de apartamento, Naomi, tenta impeder Effy de arruinar sua própria vida, mas Effy não pode ser alcançada; até que a tragédia chega.

O elenco conta com ainda com Kayvan Novak como Jake,  chefe da Effy,  Lara Pulver (Sherlock) como Victoria, uma mulher que tentará atrapalhar os planos da Stonem e Craig Roberts (Dominic).””

Sinopse de About Skins.

A parte da Effy ainda conta com a participação especial do casal lésbico mais amado de Naomi (Lily Loveless) e Emily (Kathryn Prescott), da 2ª geração.

Skins Pure:

“”Cassie (Hannah Murray) está à deriva, sozinha e invisível em Londres, tentando tirar algum sentido de sua vida. Lentamente acaba por perceber que alguém está a seguindo. Cassie se vira então para o desconhecido. Uma amizade estranha e aguda é esculpida de uma mutual solidão, mas poderá ela sobreviver ao mundo real? “”

Sinopse de About Skins.

Skins Rise:

“”Cook (Jack O’Connell) tem um emprego de entregar drogas para revendedores em Manchester. Quando se pede para ele ajudar a namorada do chefe dele a encontrar uma casa e ele descobre que ela está irresistivelmente atraída nele, ele detona uma série de eventos que o levará até um mundo de vingança selvagem e confrontamento com seu próprio passado violento. “”

Sinopse de About Skins.

skinsskins


It is not an awesome blog


[Série] Revenge

Então, vocês já viram Revenge? Até na Globo ta passando, mas na internet ta melhor. E tem na Sony também, pra quem tem tv a cabo ou tv a gato 😡 A Sony até fez uma chamada pra zoar a Globo.

[videolog 967517]

Muito bom. Revenge é basicamente uma trama cheia de vingança e, é claro, com uma boa pitada de ironia, o que deixa tudo melhor. A seguir uma sinopse do Filmow:

“Riqueza, beleza e status definem as pessoas nessa cidade, mas uma mulher está disposta a destruir todo mundo por vingança. Emily Thorne é nova em Hamptons. Conheceu alguns de seus vizinhos ricos, fez alguns novos amigos e parece combinar com a cidade. Mas alguma coisa é estranha sobre uma jovem garota vivendo sozinha em uma cidade de classe alta…e a verdade é que Emily não é exatamente nova para a vizinhança. O fato é que essa já foi sua casa um dia, até algo horrível acontecer que arruinou sua família e reputação. Agora Emily está de volta, e voltou para corrigir alguns dos erros da melhor forma que sabe – com vingança.”

Vingança. É tipo uma novela mexicana com mais estilo e um enredo mil vezes melhor e intrigante. Fora a trilha sonora que é ótima.

A família Grayson é quase a família Addams. Eu que to falando isso, mas é que me lembra muito, principalmente por causa dessa foto:

tumblr_m7wd4vMlUV1rqy3o8o1_12801194750953_f

Tem gente comparando Revenge com Avenida Brasil. A Globo simplesmente tentou copiar, com grandes falhas, a série. E eu não tenho a menor ideia se é parecido ou não.

Emily VanlindaCamp (futuramente em Capitão América 2) como Emily Thorne/Amanda Clarke; Gabriel Mann como Nolan Ross; Madeleine Stowe como Victoria Grayson; Henry rei Czerny como Conrad Grayson; Joshua Bowman como Daniel Grayson; Christa B. Allen (a menininha de De Repente 30) como Charlotte Grayson; James Tupper como David Clarke; Connor Paolo como Declan Porter; Nick Wechsler como Jack Porter.

Bom, a 3ª temporada de Revenge irá estrear em setembro junto com a 3ª temporada de Once Upon a Time na ABC.


It is not a REVENGE-Y blog


#BrasilAcordou

1017185_482319905175768_823572138_n

Bom, pra falar a verdade eu nunca pensei que eu ia viver pra ver o povo brasileiro sair da inércia e ainda mais com uma força dessas, sério mesmo. Vou até quotar o Rafinha Bastos: “Eu não imaginava que eu fosse viver o dia em que o brasileiro tivesse disposto a sair pra rua pra lutar pelo que ele acredita, pra lutar contra a injustiça… E tivesse, ao mesmo tempo, cagando pro futebol. Isso parece um sonho, velho.”

Parece um sonho mesmo, viu, mas ainda bem que realmente tá acontecendo. Antes tarde do que nunca.

Para quem ta ainda se perguntando o porquê das manifestações, de onde que veio isso tudo e tudo mais, eu vou explicar mais ou menos. Porque, pra falar a verdade, eu não tava entendendo nada no início.

Bom, vou contar em forma de historinha pra ficar maias legal.

“Era uma vez um povo que aceitava tudo que seu governo impunha. Às vezes reclamava um pouquinho aqui e um pouquinho ali, mas era mais conhecido como um povo acomodado. Esse era o povo brasileiro. O governo usava e abusava desse povo tão bom, acolhedor, meio besta e facilmente manipulável.

O resto do mundo sempre resumia esse povo ao futebol, samba, mulheres peladas e, às vezes, até a macacos e florestas. E o que o governo fazia? Sempre reforçava cada vez mais esses pontos, pois dizia que era uma coisa pela qual a nação devia se orgulhar. Mas infelizmente deixava as coisas principais de lado. as coisas pelas quais as outras nações do mundo realmente se orgulhavam. Coisas primárias, como educação e saúde.

Esse povo não tinha uma educação de qualidade; os professores, os mestres, aqueles que são responsáveis por formar uma geração inteira, dar um grande apoio para que sejam boas pessoas no futuro não eram valorizados. Muitas vezes, quando alguém dizia que era professor, outros perguntavam se não tinham um “trabalho de verdade”. Não precisamos nem comentar sobre o salário dos professores, porque não era nada de se orgulhar.

A saúde também não era grandes coisas, principalmente a pública. Pessoas morriam nas filas de espera. O governo não dava suporte nenhum àqueles que precisavam. A saúde, que é um dos direitos do ser humano, era bem precária. Podemos dizer que só os ricos conseguiam ter qualidade nos serviços.

O transporte público também era um horror. Mas foi aí que tudo começou. Geralmente, todo ano, em certa época, tinha aumentos nas passagens dos transportes públicos. Agora você vai me perguntar, mas se é publico, por que as pessoas têm que gastar dinheiro com isso? Para te responder, meu caro, só Freud, mas se você é desse tempo também e não teve uma educação de qualidade, nem Freud.

Voltando ao assunto, em São Paulo, esse aumento foi anunciado em junho de 2013. Isso foi a gota d’água. Isso serviu para aquele povo acomodado acordar de vez. O povo não queria mais ser feito de idiota. Enquanto começava uma manifestação, primeiramente pelo aumento das passagens, as pessoas sentiam uma grande necessidade de falar e reivindicar tudo aquilo que estava preso na garganta desde sempre. Quando percebemos, a manifestação já abrangia vários outros motivos, todos aqueles com os quais o povo brasileiro não estava de acordo, tudo o que queria mudar e melhorar.

Os 20 centavos foram apenas o estopim. O povo saiu pra rua. O povo queria mudar. O povo queria acabar com o governo oportunista que tinha. O povo não ia mais aguentar tudo o que o governo impunha e ficar calado. O povo finalmente acordou, e acordou disposto a fazer alguma coisa.

E foi assim que o Brasil viu uma brecha para começar a melhorar.”

Le fin~~

Eu só espero que eu possa contar essa história pros meus filhos, e que a continuação dela seja ótima.

E, a seguir, um vídeo do Rafinha Bastos fazendo uma analogia sobre o que está acontecendo para um melhor entendimento das pessoas:


It is not an awesome blog


[Série] Once Upon a Time

Entãooo, 500 anos depois eu volto com alguma coisa. Eu nunca pensei, na minha vida inteira, que eu ia ficar tão sem tempo assim, mas aconteceu, fazer o que ne.

Eeeee, Once Upon a Time, eu meio que viciei nisso e arrastei outras pessoas nisso, incluindo  a minha família 😀

Bom, eu comecei a assistir só pra zoar, porque eu realmente achei que ia ser uma coisa idiota. Me ferrei.

A história é basicamente assim: a Rainha Má (interpretada por Lana Parrilla), da história da Branca de Neve, mandou todos os personagens dos contos de fadas para o nosso mundo. Agora eles estão presos numa cidade chamada Storybrooke onde eles não se lembram quem eles são de verdade e têm uma personalidade meio destorcida em relação a quem eles realmente são. A história vai se desenrolando a partir disso, mas antes da maldição da rainha, a Branca de Neve (Ginnifer Goodwin) e o Príncipe Encantado (Josh Dallas) tiveram uma filha (Jennifer Morrison), que eles tiveram que mandar para o nosso mundo antes da maldição porque ela seria a salvadora, e quando completasse 28 anos ela retornaria e a batalha final começaria.

Parece mó merda ne, mas é muito legal.

Bom, o show está no hiatus esperando pela 3ª temporada que vai começar em Setembro, provavelmente. E conta com vários personagens de diversos contos de fadas: Branca de Neve, Chapeuzinho Vermelho, Cinderela, Pinóquio, João e Maria, A Bela e a Fera, Alice no País das Maravilhas… E eles juntam todo mundo, tipo, a Chapeuzinho é a melhor amiga da Branca de Neve, e por aí vai…

O elenco é formado só de pessoas lindas e maravilhosas. É sério, chega a ser depressivo para os não tão afortunados em relação à beleza exterior, ou pelo menos, ao padrão de beleza exterior que a sociedade capitalista propõe. Farei um post depois para mostrar o tanto de pessoa linda que tem em um só lugar, é tipo o paraíso.

Os criadores da série são Adam Horowitz e Ed Kitsis, criadores também de Lost e fizeram o roteiro de Tron: O Legado (2010).

O que mais? … Ah sim, a série vai ter um spin-off no final desse ano, me parece, que vai ser Once Upon a Time in Wonderland,que, obviamente, se passa no País das Maravilhas, e centrado na Alice (Sophie Lowe), e vai ter até o coelho branco 😀 Pelo trailer, dá pra ver que vai ser bem interessante. Espero que sim. Tomara que sim.

Então, basicamente é isso, a história é muito legal e all magic comes with a price.

Assistam a série, leiam livros, bebam água, comam vegetais e frutas e sejam legais uns com os outros. Adios.


It is not an awesome blog